top of page

Leituras de agosto

Dizem que nunca se leu tanto — a gente passa o dia rolando as informações que chegam pelos aplicativos do celular



Nada de #tbt por aqui hoje: um carrossel com as minhas leituras “do momento”. Entre aspas mesmo, pois cada uma possui um tempo — uma dinâmica — muito próprio e particular. 📖


Sem planejar, mantive no Kindle dois livros que não estão sendo lidos por conta do mestrado (não posso falar em “leituras por prazer”, rs, já que trilhar o caminho da pesquisa está sendo gostoso demais). Como sabem, #NélidaPiñon é a nossa #leituracoletiva — e viagem — da vez. A obra do #RutgerBregman comecei pelo @clubedolivropriolikarnal. Em qualquer tempinho que tenho, tento mergulhar em um dos dois.


Já o do #SergioMiceli e a reunião de cartas trocadas entre #CâmaraCascudo e #MárioDeAndrade demandam cadeira confortável, mesa, caneta, caderno, olhos que aceitam retornos constantes e um pouquinho de cobrança e ansiedade. 💁🏻‍♀️


Dizem que nunca se leu tanto — a gente passa o dia rolando as informações que chegam pelos aplicativos do celular. Mas o instante dedicado aos livros — em suportes físicos ou digitais, tanto faz — tem de ser fruto da escolha e da busca pelo hábito. E ele vai se esticando, e se fincando, até que você não seja capaz de passar um dia sequer sem o seu precioso momento.



Posts recentes

Ver tudo

Cinco lições de José e Pilar

José de Sousa, em seu bilhete de identidade informal, conta que talvez tenha sido um dos primeiros casos em que o filho dá nome ao pai: Saramago não é de família, era apenas alcunha e acabou adotado p

Comments


bottom of page